Mais de 3.000 poetas e críticos de lusofonia!

Sergio Tavares

Email

Thomas Colle,  The Return, 1837

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Poesia:

Ensaio, crítica, resenha & comentário: 


Fortuna: 


Alguma notícia do autor:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ruth, by Francesco Hayez

 

William Bouguereau (French, 1825-1905), L'Innocence

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais de 3.000 poetas e críticos de lusofonia!

 

 

 

 

 

Um esboço de Leonardo da Vinci, página do editor

 

 

Sergio Tavares

APENAS 

Eu não quero na vida
Toda a alegria existente,
Quero apenas um sorriso no rosto
Para que eu possa me sentir contente.
Prazer, também, eu não quero tanto,
Eu só não quero é afogar-me
com o meu próprio pranto.
Na escuridão, quero uma luz acesa
Guiando-m e na incerteza
E quando o sol surgir no horizonte
Saber reconhecer sua grandeza.
Eu não quero amar muitas mulheres, não!
No coração de uma, apenas,
Quero ser amado,
E quando dele estiver ausente
Quero sentir saudades
E sofrer calado!   


 

 

SILÊNCIO

Dentro de mim existe um ser humano
Que fala apenas o que sente,
Por isso minha voz é tão sincera
Quanto o vento que sopra lentamente.

Basta ouvir-me para ter certeza,
Sou o que minha voz te fala,
E quando eu estiver ausente
É só sentir o silêncio que te cala.
 

 

 

VELHO MARINHEIRO

Diga para mim, velho marinheiro,
por que este silêncio nos envolve
e temos apenas o mar por companheiro?

Deixemos o tempo que tudo resolve,
pois esse é nosso amigo verdadeiro,
mostrar-nos o caminho a seguir.

Então, abriremos as velas ao vento
e deixaremos nosso barco partir.

Partiremos como parte o pensamento,
como as ondas... Num eterno ir e vir.

Por que meu amigo marinheiro,
o coração se enche de saudade
quando partimos do porto derradeiro?

Deixemos o sentimento de verdade
tomar conta de tudo por inteiro.

Somente amando se pode superar
essa tristeza que invade nosso peito,
pois nada no mundo pode apagar

do pensamento o amor perfeito,
nem mesmo as ondas... Ondas do mar.

O amor não é apenas parte de mim,
o amor é muito mais do que partir.

É como amar, esse oceano sem fim,
ser marinheiro é muito mais que sentir,
viver no mar ou não viver, enfim,
eis a questão fundamental, penso,
por isso prefiro viver intensamente.

Sentir dentro do peito o mar imenso,
e nesse sentir o amor profundamente,
meu coração é um mar de amor intenso.

Vem uma onda e se vai com a ventania
numa canção tão doce que acalma,
e outra onda já vem trazendo o dia
e enche de alegria a minh'alma.

Vivo assim a embalar meus sonhos
ne