Mais de 3.000 poetas e críticos de lusofonia!

 

 

 

 

 

Hugo Pontes  


 

Prefácio, ensaio, crítica, resenha & comentário:


Poesia:


Fortuna crítica:


Alguma notícia do autor:

 

 

 

Crepúsculo, William Bouguereau (French, 1825-1905)

 

Ticiano, Magdalena

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Delaroche, Hemiciclo da Escola de Belas Artes

 

 

 

 

 

Hugo Pontes


 

Comentário de Psi, a penúltima:

 

Psi, a penúltima, Ed. Papel em Branco, Salvador, 1997.

"Nada define melhor a sensação se abrir um Feitosa: a poesia invade! Nosso multinordestino — Ceará/ Pernambuco/ Bahia — erigiu um novo patamar literário e arte o abençoou."

Aproveito o comentário feito na orelha do livro, por AntônioMichelangelo, Pietá Massa, para dizer, que o poeta Francisco José Soares Feitosa é, sem dúvida, um nome na poesia brasileira por ser ousado, criativo e inovador.

Sua obra ganha dimensão do universo pelos variados temas que aborda com propriedade e numa linguagem poética que vai do lírico ao épico.

Sem dúvida, na atualidade, Soares Feitosa torna-se pelo poder da palavra — que tão bem sabe manejar — e competência própria o poeta da terra e da gente nordestina.

Vejam esta amostra:

 

Strip-tease

            Jamais eu ficaria quieto
sob o teu olhar;

            que muito menos quietos,
no direito de ir e vir,
             sobre o teu corpo,
seriam os meus olhos lívidos.

             Porque sobre mim,
bastam os sons
             dos teus vestidos:
já me desvestem a alma.

 

[Coluna Comunicarte, Poços de Caldas, MG, 14.8.1997]
 

 

 

 

 

 

 

12.08.2005