Mais de 3.000 poetas e críticos de lusofonia!

 

 

 

 

 

Carla Bianca


 

Prefácio, ensaio, crítica, resenha & comentário:


Poesia:


Fortuna crítica:


Alguma notícia da autora:


  •  

 

 

Da Vinci, Cabeça de mulher, estudo

 

Sophie Anderson, Portrait Of Young Girl

 

 

 

 

 

 

 

 

 

John Martin (British, 1789-1854), The Seventh Plague of Egypt

 

 

 

 

 

Carla Bianca


 

A poesia de Soares Feitosa
 

Surpreende a diversidade de encarnações que SF incorpora. Ruth, by Francesco Hayez
Às vezes, um homem-antena que capta e irradia chamas sociais. De repente, o cabra da peste que galopa os sertões ouvindo e contando causos. A face do amor revela-se ao narrar e emoção masculina sofrendo o encantamento pela Femina.

O menino surge brincando com palavras-blocos, construindo a mais autêntica poesia lúdica.

Multi-facetado e autêntico na vivência de de cada uma de suas personalidades, esse é o poeta Soares Feitosa, navegador da internet, que segue visitando sensibilidades, galáxias e sertões. E que viagem!
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Michelangelo, 1475-1564, Teto da Capela Sistina, detalhe

 

 

 

 

 

Carla Bianca


 

Ilustre visitante


Converso com o amor. Ele fala como se fôssemos íntimos. Aperta minha mão e beija-me as faces. Coro o rosto, banhada pela timidez. Não sei se possuo fidalguia para anfitrionar tão distinta personalidade.


Os gestos de amor são elegantes e clássicos, dando a impressão de tratar-se de alguém que nunca se emociona. Um engano que vai se dissipando ao longo de nossa conversa. Quando falo de minhas tristezas, aquele ser distante, muda de figura e começa a verter lágrimas. Ao ver esta cena fico triste e alegre, por perceber-me através de olhos tão ilustres.


Os assuntos que discorre são por demais difíceis à compreensão, mas permaneço atenta, fitando belos segredos.


A prosa continua e ele vai se soltando cada vez mais. Um pouco depois percebo que ele passa a ter ciúmes dos que comigo tentam falar. A felicidade em invade e penso pertencer a mesma raça do amor.

 

 

 

 

 

 

22.07.2005