Mais de 3.000 poetas e críticos de lusofonia!

Álvaro Seiça Neves

alvarosneves@hotmail.com  

Entardecer, foto de Marcus Prado

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Poesia :

Poemas do livro hóspede:


 Ensaio, crítica, resenha & comentário: 


Alguma notícia do autor:

 

Alvaro Seiça Neves

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ticiano, O amor sagrafo e o profano, detalhe

 

Leighton, Lord Frederick ((British, 1830-1896), girl

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Andreas Achenbach, Germany (1815 - 1910), A Fishing Boat

Álvaro Seiça Neves


 

Apontamento bio-bibliográfico:
 


Ainda peixe pequeno marulhando nas águas vaginais, decidiu romper as redes e soltar-se graúdo. Rasga aquele ventre sôfrego a 25 de Outubro de 1983 na Ria de Aveiro, vivo braço de Portugal.
Houve tempo de infância saudosa e fantasia de catraio. Depois... depois veio o anzol da consciência de ser mesmo peixe e o arrepio. A água começava a turvar. Então, como robalo fresco querendo escapar, rumou suavemente para a corrente quente da palavra. Vinda de onde? Continua a não saber...
Nas voltas das viagens foi tropeçando na publicação de alguns poemas aqui e ali, nas Terras de Revista tal e tal, e no livro Fuligem do Tempo, nas Terras da Editora Corpos. Entretanto, esperando a chegada da 3ª maré, deu cambalhota em direcção ao rio e aterrou na Exposição de Peixe Individual de Fotografia e Poesia em Aveiro e Leiria.
Após os milhares de barcos pesqueiros que tem visto ansiando por si, vai petiscando na obscuridade que, talvez um dia, se mostre amizade.


Lisboa, 1 Março 2004
Álvaro Seiça Neves
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Caravagio, Êxtase de São Francisco

Álvaro Seiça Neves


 

Comentário sobre Estudos & Catálogos - Mãos:

 

Feitosa,

 

Um bater de coração primordial, semelhante a uma batida dentro do útero, apoderou-se quando recebi castanho envelope e dobrado na minha caixa de correio.Leia Estudos & Catálogos - Mãos

Estudos & Catálogos - Mãos - impressionado. A poeira e a fadiga do gado transportaram-me para um planalto de origens - carne-couro a chocalhar dentro de mim. Mãos. Mãos como vasilhas abertas à criação! Tudo parece tão perfeito assim. A questão da serifa não deixa de ser menos inquietante - existirá a desejada sapata debaixo de cada um de nós?

Mas, sobretudo, fica a promessa de um Recordel anunciado, espero! No final, a renovação é sempre a continuação no ciclo pródigo da vida - "as mãos dos novos hão de garantir as nossas mãos. Por sobre, sempre por sobre; assim tem sido." Lembra-me a infância da amizade pura, mãos ensinando amor...

Um convite - Edições Cururu... Teria todo o gosto em participar, diga-me se, caso tenha lido Hidra, gostaria de a ver publicada em Cururu?

Abraço grato,

Álvaro

 

Nota do editor:

Edições Cururu publicará, inicialmente em adobe.pdf, o livro Hidra, do poeta Álvaro Seiça Neves.

 

 

 

John William Waterhouse , 1849-1917 -The Lady of Shalott

Início desta página

Nei Duclós