Mais de 3.000 poetas e críticos de lusofonia!

Antero Barbosa

Escreva para o editor

Andreas Achenbach, Germany (1815 - 1910), A Fishing Boat

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Poesia:


Ensaio, crítica, resenha & comentário: 


Fortuna crítica:


Contos: 


Alguma notícia do autor:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ticiano, Salomé

 

William Bouguereau (French, 1825-1905), João Batista

 

 

 

 

 

 

 

 

Vale or Farewell, ARTHUR HACKER (RA), (1858 - 1919)

 

 

 

 

 

Antero Barbosa


 

Bio-bibliografia


Antero Barbosa, Marco de Canavezes (Porto, Portugal) – 1956.

Escritor (poema, ficção, ensaio), licenciado em Estudos Portugueses e dirigente em Escola de Ensino Superior.

Bibliografia:

“Contextos” (contos), 2005, Edição da Câmara Municipal de Mogadouro.

“Ramo e de repente” (poemas), 2005, Editora Ausência.

Participação em colectâneas de poemas:

“Poiesis”, volume XI, Editorial Minerva, Junho/2004;

“Novíssimos”, Editora Ausência, Setembro/2004 (2.ª edição, Outubro/2004).

Publicação em jornais e revistas:

Poema:
“Cervos de Auga” (5 poemas) – Cultura e Arte, Suplemento de O Comércio do Porto, de 17/08/1982, coordenado por José Augusto Seabra e Jacinto de Magalhães.

Conto:
“Formigas” – Jornal de Notícias, 13 e 14/07/1985.

“O Contador” – Germina Literatura (http://www.germinaliteratura.com.br), Outubro/ 2005;

“O Viço Veloz da Vertigem” - Germina Literatura
(http://www.germinaliteratura.com.br), Outubro/2005.

Ensaio:
“A Leveza de Dinis” – Arquivos de Medicina, Volume 19, N.º 1-2,
Janeiro-Abril 2005.

“eça redundância (uma exumação de O Defunto)” - Germina Literatura (http://www.germinaliteratura.com.br), Outubro/ 2005;

“Poligrafia ou a Organização de Movimentos Congelados (Sobre e a-propósito de Gambito, terceiro capítulo de A Maldição do Macho, de Nelson de Oliveira)” - Germina Literatura (http://www.germinaliteratura.com.br), Outubro/ 2005;

“Da tradução semântica ou o vôo dentro da asa (Leitura, parcialíssima, de O Livro das Ignorãças, de Manoel de Barros)” – Jornal de Poesia (http://www.jornaldepoesia.jor.br), 28/12/2005.

Diversos:
“Homenagem a Chaplin” – Semanário Vídeo, Ano II, N.º 75, de 18/05/1989.

Prémios:

“Prémio de Poesia Brétema”, 1990, Jornal Notícias de Gaia, com o trabalho “Cenografia” (não publicado) Júri: Albano Martins, Egito Gonçalves e Cristina Bacelar.

“Prémio Trindade Coelho” – 2.º prémio, 2005, “Contextos” (contos) Júri: Prof. Doutora Henriqueta Gonçalves, Departamento de Letras da UTAD; Prof. Doutor Seabra Pereira da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra; Prof. Ernesto Rodrigues da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa; Doutor Manuel Martins, Presidente da Comissão de Avaliação Literária do Município de Mogadouro.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Da Vinci, La Scapigliata, detail

 

 

 

 

 

Antero Barbosa


 

 
Poeta Soares Feitosa

 

Conforme prometido, venho aqui hoje para falar um pouco e informalmente de seus textos. Sem qualquer intuito de contrabalançar a generosidade que tem tido comigo. Faço-o voluntariamente e por merecimento. Apreciei seus prefácios, em especial o que tem por título "Estudos & Catálogos - Mãos".

Estamos demasiado cansados de prefácios técnicos, recorrendo abusivamente a linguística, a teorias da literatura, a citações massivas, a tudo isso. É refrescante ler um prefácio não técnico, coloquial, didáctico e que envolve o leitor nos adornos de uma "estória". Excelente. De seus poemas eu diria que são todos óptimos. Não cabe aqui espaço para falar de todos, nem esse é o objectivo. Já havia lido alguns no JP com agrado e emoção. Porque em tudo na vida há lugar a síntese e gosto pessoal, falarei apenas de dois: "Réquiem em sol da tarde" e "Femina". Apesar da distância, das vivências, das gerações que nos separam aos dois, apesar do substracto semântico e cognitivo que nos distinguem, por vezes é possível a aproximação e a osmose. É o que acontece com "Réquiem", que me lembra e integra em sítios e situações de minha vida, onde a nostalgia e a emoção são rigorosamente iguais às suas. Neste caso, percutida de si para mim. "Réquiem" apela ao conteúdo, "Femina " apela à forma. Literariamente é, para mim, o melhor de todos, quase que não foi escrito mas já existia.

De facto, o encaixe demasiado perfeito das palavras e a musicalidade que dali se ergue estabelece o tipo de poema que eu diria ter chegado por intercedência de poder divino.

Abraços, Antero


Página inicial de Soares Feitosa
 

 

 

 

 


 

10/09/2007