Mais de 3.000 poetas e críticos de lusofonia!

Márcio-André 

Marcio-Andre@club.lemonde.fr

Frederic Leighton (British, 1830-1896), Antigona,detail

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Poesia:


Ensaio, crítica, resenha & comentário: 


Fortuna crítica: 


Alguma notícia do autor:

 

Márcio-André

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ruth, by Francesco Hayez

 

William Bouguereau (French, 1825-1905), Reflexion

 

 

 

 

 

 

 

John Martin (British, 1789-1854), The Seventh Plague of Egypt

 

 

 

 

 

Márcio-André


 

Biografia:


Márcio-André lançou em 2003 o livro Movimento Perpétuo pela Editora Confraria do Vento, que, em 2004, foi reeditado na íntegra pela Editora da UFRJ na antologia 8 Poetas. Está preste a lançar o livro: Intradoxos.
Atualmente integra o projeto Arranjos para Assobio de poéticas experimentais, trabalha na tradução de poesias de Arnold Flemming, Serge Pey e Bernard Heidsieck e edita as revistas literárias Confraria e Improvável. Suas páginas são: http://www.marcioandre.com e http://marcioandre.confrariadovento.com 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Michelangelo, 1475-1564, Teto da Capela Sistina, detalhe

 

 

 

 

Márcio-André


 

Capa dos livros:


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Márcio-André

- Joelhos & Mel -


 

From: "Márcio-André" <Marcio-Andre@club.lemonde.fr>
To: <soaresfeitosa@secrel.com.br>
Sent: Monday, April 25, 2005 8:35 PM
Subject: Joelhos & Mel

 

Recebi o abraço de muito bom grado e... surpreso!

Confesso que não havia lido nada especificamente seu.

Agora estou realmente impressionado, com toda sinceridade do mundo, daquelas que não se pode fingir. Esse conto tem aquela precisão, aquele esmero onde nada sobra e toda justesa se encaixa desvelando sutilmente uma frase, um sintágma preciso: "e tocou-a com a parte de baixo no mel com farinha, na parte mais mel, só o convexo, pelo lado de fora". e o final: "E os joelhos de ambos foram insuficientes para tanto amargo." Que bela sutileza, sem apelação, sem esses arroubos impactantes que costumam fechar os contistas ingênuos. Nenhuma ingenuidade, muito silêncio!

Meus humildes parabéns!

Um abraço.
 

Márcio-André

 

Link para Joelhos & mel

 

 

 

 

31.05.2005