Mais de 3.000 poetas e críticos de lusofonia!

Juarez Leitão 

Mais de 3.000 poetas e críticos de lusofonia!

Livros de Juarez Leitão, inteiro teor, clique aqui:

  • Ignis, o inventário da paixão

  • Padre Leitão, o cura da ribeira do Curtume

  • Sábado, estação viver

Poesia:


Ensaio, crítica, resenha & comentário: 


Fortuna crítica: 


Alguma notícia do autor:

 

Um esboço de Da Vinci   Um cronômetro para piscinas

 

 

 

 

 

Poussin, Rinaldo e Armida

 

 

 

 

 

Juarez Leitão



Biografia

É filho de João Fernandes de Oliveira e de Maria Soares Cavalcante Leitão. Estudou nos Seminários de Sobral e de Fortaleza e, após desistir da carreira eclesiástica, cursou três anos da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará.

Bacharelou-se em História e Filosofia pela Universidade Estadual do Ceará, em 1976. Seguiu o magistério como professor de História nos Colégios Lourenço Filho, Farias Brito, Batista, Colégio 7 de Setembro e cursos pré-vestibulares, bem como, de Filosofia, Sociologia e Visão do Mundo Contemporâneo.

Na esfera política foi vereador de Fortaleza em duas legislaturas, suplente de senador e assessor político da Assembleia Legislativa do Ceará e da Câmara Municipal de Fortaleza. Participou de vários grupos literários no estado do Ceará.

Foi membro do Conselho Estadual de Cultura. Poeta, cronista, conferencista e historiador com várias obras publicadas, ingressou na Academia Cearense de Letras no dia 14 de março de 1996, tendo sido saudado pelo acadêmico Teoberto Landim. Ocupa a vaga deixada por Mozart Soriano Aderaldo, cadeira número 19, cujo patrono é José Albano. É membro da Academia Cearense de Retórica, União Brasileira de Trovadores, União Brasileira de Escritores e Academia Fortalezense de Letras.


Obras

  • Urubu Rosado, (1981),
  • Tangenciais, (1987),
  • Ignis, O Inventário da Paixão, (poesias/1993),
  • Pelas Ruas do Mundo e da Esperança, (1995), em parceria com Artur Eduardo Benevides;
  • Padre Leitão, o Cura da Ribeira do Curtume, (1999),
  • Sábado, Estação de Viver, (2000),
  • A Praça do Ferreira, República do Ceará Moleque, (2002),
  • Futebol, Ofício de Paixão, (2002),
  • Quixeramobim, (2003),
  • O Vaqueiro Gavião & Outros Causos da Boca do Mundo, (2004),
  • O Sabonete Premiado & Outras Histórias de Humor e Espanto, (2005),
  • Ensino Como Quem Reza – Vida e Tempo de Filgueiras Lima, (2006),
  • Sonhos e Vitórias - A História de João Gonçalves Primo - em parceria com o escritor e biógrafo cearense Túlio Monteiro (2007),
  • Crônicas de Amor ao Ideal Clube, (2014),
  • Olga Barroso – Na Vanguarda da Vida, (2017),
  • Deusmar Queirós - o Tecedor de Ousadias (2019).

(Texto redigido em 26.12.1022)

 

Albrecht Dürer, Mãos

Início desta página

Ricardo Alfaya

 

 

 

 

 

Mais de 3.000 poetas e críticos de lusofonia!

 

 

 

 

 

Juarez Leitão


 

Promessas


A manhã
em verdes ventos de palmas
balança.
Devagar
meu olhar se molha
de morna cobiça.

Mergulhas.
Vasculhas as águas
impresumível.
Corcoveias sibilina e fugaz,
o quadril opalino
brilha num vôo trêmulo
e submerge.

De longe
te como, Castanha,
te mastigo:
minha casa de palha está em chamas.

O dragão tatuado não sabe
de sua missão
nem o azul da piscina
conhece matizes.

O azul e o dragão são adereços
cada qual com seu preço e tarefa.

Bebo.
O limo do desdém não me governa:
estou construindo promessas.
 

 

 

 

 

 

 

 

Mais de 3.000 poetas e críticos de lusofonia!

 

 

 

 

 

Juarez Leitão


 

Namoro


Varanda da intemperança
fio da navalha
tempo de pura ousadia.
No riso de astuta pantera
a paixão nos espera
e a vida vale um dia.

Quem faz o edifício
quem me dá o sinal
que me tempera?
 

 

 

 

 

 

 

 

Franz Xaver Winterhalter. Portrait of Mme. Rimsky-Korsakova, detail

 

 

 

 

 

Juarez Leitão


 

O Legado


Que não se percam nunca
os dias construídos
na fina argamassa
de luz e cor.
Nem se lamentem as águas
que lavaram espantos
Nem as agudas noites de sabor.
Tudo correu bonito
Em movimentos vivos
de audaz transparência.
A cidade nos deu presentes
De sangue e canto
De todo encanto.
E lançamos aos ventos
gritos
sofreguidão
ardências.
Um pedaço de ti
Guardei aqui
para tatear na noite obscura
e sentir esse jeito
essa voz
essa virtude altiva
Paixão viva
de eterno direito
de amor e de nós.
 

 

 

 

 

 

 

Muito mais de não sei quantos mil poetas,

contistas e críticos de literatura.

Clique na 1ª letra do prenome:

 

A

B

C

 

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

Q

R

S

T

U

V

W

 

X

Y

Z

 

 

WebDesign Soares Feitosa

Maura Barros de Carvalho, Tentativa de retrato da alma do poeta

 

 

SB 26.12.2022