Mais de 3.000 poetas e críticos de lusofonia!

Gustavo Dourado

gustavodourado@gustavodourado.com.br

Andreas Achenbach, Germany (1815 - 1910), A Fishing Boat

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Poesia:


Ensaio, crítica, resenha & comentário: 


Fortuna crítica: 


Cordel:


Alguma notícia do autor:

 

Gustavo Dourado

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

William Bouguereau (French, 1825-1905), João Batista

 

William Bouguereau (French, 1825-1905), Mignon Pensive

 

 

 

 

 

 

 

 

John Martin (British, 1789-1854), The Seventh Plague of Egypt

 

 

 

 

 

Gustavo Dourado


 

Comentário sobre Olha, Tomé, o teu pássaro foi-se embora:
 

To: "SF - Soares Feitosa - Jornal de Poesia"

Sent: Tuesday, May 06, 2003 12:13 AM

Subject: Re: Grande perda cultural

Prezado Soares

Lamento pelos hd perdidos com vírus.

E louvo-te pelos textos de Saramago e Euclides da Cunha...os outros verei em seguida ...sei que tb são bons.Caravagio, Tentação de São Tomé, detalhe

Realmente você tem a verve e a energia dos mestres da linguagem...

A sua linguagem é única e peculiar, carregada de satironia e um grau picaresco advinda da linguagem do romanceiro popular e de outros ambientes......

Admiro a força de seu talento e de suas ações virtureais e revirtuais...

Grande abraço...

Gustavo Dourado

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Michelangelo, 1475-1564, Teto da Capela Sistina, detalhe

 

 

 

 

 

Gustavo Dourado


 

Biografia:

 

Baiano de Recife dos Cardosos - Ibititá (região de Irecê)/ Chapada Diamantina, Gustavo Dourado (Amargedom) viveu na Bahia durante 15 anos. Em Brasília há 28 anos, tem participado ativamente dos movimentos políticos, ecológicos, populares, sociais e culturais. Na UnB destacou-se como líder estudantil e ativista cultural e promoveu vários eventos como o Flimpo, a Expoarte, Show do Arroto e encontros estudantis. Foi fundador e Diretor do Centro Acadêmico de Letras.

Amargedom é autor de nove livros, alguns premiados e com poemas traduzidos em cinco idiomas. É professor de Português, Literatura, Lingüística, Redação, Religião, Agropecuária e Folclore Brasileiro. Lecionou no Colégio Elefante Branco e na Faculdade de Artes Dulcina de Moraes. Ensinou no Gama, Ceilândia, Taguatinga, LBA e no Hospital Sarah (nas áreas de criatividade e de linguagens artísticas).

Atuou como delegado e militante do Sindicato dos Professores, Senalba, Sindsep e Sindicato dos Escritores (Diretor sociocultural). Em Taguatinga dirigiu o CineClube Gritto, participou da Associação dos Moradores da QNG, na área de Comunicação, do Grupo Caxadágua e da Associação de Arte e Cultura / FACULTA.

É produtor cultural e de eventos, orador,animador, apresentador e membro do Fórum Brasília. Faz parte de academias e entidades socioculturais. Presidente da Academia de Letras e Música do Brasil e membro da Academia Internacional de Lutèce, Paris, França. Pesquisador cinematográfico, fez a pesquisa biográfica e literária do filme “Castro Alves”, de Silvio Tendler, prêmio Margarida de Prata da CNBB, em 1999.

Assessor de Literatura da Fundação Cultural do DF. Presidente do Sindicato dos Escritores do DF. Representante da União Brasileira de Escritores. Filiado à Associação de Imprensa de Brasília. Pós-graduado em Gestão (ONU), Literatura, Educação, Folclore, Cultura Popular, Linguagem Teatral e Linguagens Artísticas. Seu trabalho recebe constantes elogios de críticos e jornalistas e foi analisado pela professora, escritora e antropóloga Sylvie Raynal, da Universidade Sorbonne (França),Wolf Lustig, da Alemanha e outros pesquisadores estrangeiros. Conselheiro da revista DF Letras, do Concurso de Redação da S/A Correio Braziliense / Fundação Assis Chateaubriand,prêmio Estadão de Cultura/jornal O Estado de São Paulo, Imprensa Nacional, entre outros. Representante da Secretaria de Educação/ FEDF (Fundação Educacional do Distrito Federal) junto a 52ª SBPC, realizada na Universidade de Brasília, em julho de 2000.

Foi alfabetizado aos três anos pelo pai, com leituras bíblicas, literatura oral e literatura de cordel, ouvindo estórias, causos, cantigas, repentes e lendas sertanejas.

Destaca-se como um dos escritores baianos/brasilienses mais criativos e inovadores dos últimos tempos, de acordo com renomados críticos..

Estabeleceu contato com os concretistas, neoconcretistas, cordelistas, repentistas, experimentalistas, jornalistas e vanguardistas de várias tendências. Autor de centenas de folhetos de Cordel (muitos inéditos), contos, crônicas, ensaios, romances e roteiros cinematográficos.

No GDF criou /coordenou diversos projetos lítero-culturais, tais como Poesia no Ônibus, Encontro com a Palavra, Bolsa Brasília de Produção Literária, Lançamentos de Livros, Estante do Escritor, Fórum Permanente de Escritores, entre outros. Participou ativamente da Feira do Livro de Brasília, Festivais e Mostras de Cinema, Classe Arte, Temporadas Populares, Hora do Trabalhador, Almoço com o Escritor, Bienais Internacionais do Livro do Rio e de São Paulo. Improvisador, repentista, declamador. Participou de mais de 500 recitais poéticos e de diversas antologias, jornais e revistas no Brasil e no exterior. O seu livro Phalábora foi selecionado pela Comissão Editorial Letras da Bahia para ser divulgado no Projeto Brasil 500 Anos e foi objeto de estudo do Professor Ilton Cerqueira no Mestrado de História da Universidade Federal de Ouro Preto, em 1999. Em 2000 inaugurou com o reitor da Universidade de Brasília, Prof. Lauro Morhy , a Estante do Escritor Brasiliense e o Arquivo-Museu da Literatura, na Biblioteca Central da UnB, com a participação de mais de 200 autores do Sindicato dos Escritores.

Estudioso da História e da Literatura da Bahia e de Brasília com destaque para assuntos ligados ao cangaço, Lampião, Corisco, Padre Cícero, Canudos, coronelismo, Horácio de Matos, Manoel Quirino, Revoltosos, Cordel, garimpeiros, genealogia, ciganos, pioneiros, JK, Missão Cruls, jagunços e aventureiros do Planalto Central, do Cerrado, de Goiás, do Sertão Nordestino e da Chapada Diamantina.

Descendente de família de escritores, dos quais se destacam Autran Dourado, Ângelo Dourado, Alzira Dourado, Mecenas Dourado e o cartógrafo português Fernão Vaz Dourado, entre outros.

Concluiu pós-graduação em Gestão Pública na Escola de Gestão do Distrito Federal em Convênio com a ONU - Organização das Nações Unidas.


 

 

 

Valdir Rocha, Fui eu

Início desta página

José Saramago, Nobel

 

 

 

 

 

 

 

 

Jean Léon Gérôme (French, 1824-1904), Plaza de toros

 

 

 

 

 

Gustavo Dourado


 

Obras:

  • Phalábora -1997. Valci Gráfica Editora, Brasília-DF

  • Cordel do Corno - 1990. Da Anta Casa e Editora, Brasília-DF

  • Linguátomo - 1991. Brindouro Edições. Taguatinga-DF

  • Espejos de La Palabra/ Espelhos da Palavra. 1999. Sindescritores/Sur Editores, Brasília / Montevidéu.

  • Carmo Bernardes Imortal (versos de Amargedom).1996. Kelps Editora, Goiânia-GO

  • Tupynambarbarie. 1984/1987. Org. Márcia Macedo, Brasília/Rio de Janeiro, Yônix Editora

  • Cordel - Torquato Neto - 1990 - Secretaria de Cultura,
    Brasília-DF.

  • Coletivo de Poetas (Participação)- 1997/1998.Org. José Menezes Y Moraes, Brasília-DF

  • Brasília: Vida em Poesia (Participação)- 1996. Org. Ronaldo Alves, Brasília-DF

  • Autores em Braille (Participação) - 2001. Org. Dalila Pereira/ Dinorá Couto,Brasília-DF

  • Dicionário de Escritores de Brasília (Verbete), de Napoleão Valadares

  • Enciclopédia da Literatura Brasileira - Equipe Afrânio Coutinho/ Rita Moutinho.( Verbete), Brasília-DF

  • Transformação - UnB - 1981, Brasília-DF

  • Coral da UnB - Cordel - 1981, Brasília-DF

  • 6 posters e 6 postais de Poesia - Edição do Autor - 1980/2001, Brasília-DF

  • 2 Adesivos Poéticos - 1983 - Brindarte - Lançamento no Restaurante Beirute - Brasília-DF

  • Catálogo de Escritores Brasilienses (Verbete) - Governo do Distrito Federal, Brasília-DF

  • Poesia de Brasília, Org. Joanyr de Oliveira (Participação),
    Brasília-DF

  • Cordel da Criatividade - 1986 - Hmal - Equipos - Rede Sarah, Brasília-DF

  • Cordel da Castração (AIDS) 1989/1990 - Revista Víbora,
    Brasília-DF

  • Guima Rosa - Revista Bric - a - Brac- 1992, Brasília-DF

  • Pesquisa do Filme Castro Alves - Retrato de um Poeta, de Sílvio Tendler, Prêmio Margarida de Prata, da CNBB.

  • Participação Poética/Entrevistas em Filmes e Vídeos de Maria Coeli, Márcia Macedo, Reginaldo Gontijo, Maria Maia, Vladimir Carvalho, George Jesus Duarte, UnB, Universidade Católica de Brasília, Grupo HUNDREDONE, Net, TV Mundial, Secretaria de Cultura do DF,Tva, Rede Globo, Tv Brasília, Tv Bandeirantes, Tv Câmara, GDF -TV, CLDF-TV, TV Apoio, Globo News, TV Nacional, TV Cultura,TV Gazeta, Fundação Bem-Te-Vi (de Tânia Quaresma), Ensaios Fotográficos, Querubins em Emergência/Visuaisônicos ( com Márcia Macedo, entre outros).

  • Membro da AAAS - American Association For The Advancement of Science - 2001

     

 

 

Leonardo da Vinci, Embrião

Início desta página

Alceu Brito Correa

 

 

 

 

 

 

 

 

Jean Léon Gérôme (French, 1824-1904), Bathsheba

 

 

 

 

 

Gustavo Dourado


 

Algumas opiniões:

Carlos Drummond de Andrade



"Amargedom é um poeta que desafia a linguagem, atomiza o verso, cria e recria a língua com extrema habilidade. É um feiticeiro da palavra".
Carlos Drummond de Andrade
15/01/84
 


Ferreira Gullar

"Amargedom: Poeta do Repente e da Beleza".
 Ferreira Gullar 18/09/80

 

 


Augusto de Campos

"O seu poema, O Brasil quem U.$.A sou E.E.U.U., é forte, interessante e criativo". Trovador pós - moderno.
Augusto de Campos 24/10/92

 


Jorge Amado
"Poeta com invenção na linguagem e permanente criatividade no verso. Excelente. Alma literária erodindo a língua".
Jorge Amado 30/06/91

 


Affonso Romano de Sant'Anna

"A sua poesia estilhaça ironias em granadas a granel, infinita e iluminada".
Affonso Romano de Sant'Anna 1992

 


Márcio Catunda

"Gustavo Dourado (Amargedom): lídimo, lúdico, lúcido, lúbrico, lícito, lépido levitador de idéias".
Márcio Catunda
, escritor e diplomata.

 

 

 

Leighton, Lord Frederick ((British, 1830-1896), girl

Início desta página

Maria da Paz Ribeiro Dantas

 

 

 

21/07/2006